bt-certificado-caixa.jpg

News

Faça seu FGTS render mais..

Você sabia que pode estar perdendo dinheiro ao manter o seu FGTS parado?

Entenda por quê : 

Quem trabalha com carteira assinada e possui saldo na conta vinculado ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode estar perdendo a oportunidade de fazer o dinheiro render mais. É o que dizem os especialistas, que indicam que comprar um imóvel com o saldo do FGTS pode ser mais vantajoso que deixar o dinheiro na conta. 

Isso acontece porque os imóveis valorizam acima da inflação, cerca de 6% ao ano, enquanto que o rendimento médio anual do FGTS é a metade: 3%. E esse percentual vem caindo ano após ano.

Em 2013, o Instituto FGTS Fácil, organização sem fins lucrativos que visa conscientizar o trabalhador sobre o Fundo de Garantia, divulgou queda de 5,44% no rendimento, um alerta para aqueles que já planejavam dar outro fim ao saldo parado na conta. O presidente do FGTS Fácil, em entrevista ao jornal A Tarde, explica que a correção de um empréstimo imobiliário costuma ser entre 6% e 8% ao ano (sobre o total do contrato)  e que por isso, não faz sentido não sacar o dinheiro, já que o rendimento é apenas a metade. 

Quem deixa o saldo na conta e paga aluguel perde dinheiro duas vezes - alertam os especialistas. O recurso pode ser usado até mesmo para quitar um financiamento já iniciado ou amortizar parte das prestações. E ainda, se não houver edificação no terreno, o saldo pode ser usado para a compra de lotes.

No entanto, para fazer uso do recurso para adquirir ou quitar um imóvel, o valor do bem não pode ultrapassar R$750 mil nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal ou R$650 mil nos demais estados. O imóvel tem que estar sediado na mesma cidade onde o comprador exerce sua ocupação principal ou na região metropolitana.

Quem já possui um imóvel quitado em outra cidade, pode usar o montante do FGTS para aumentar seu patrimônio, adquirindo um segundo imóvel na cidade atual em que trabalha. Se o valor acumulado não é suficiente para a compra do segundo bem, o trabalhador tem a opção de fazer um refinanciamento imobiliário, dando o imóvel quitado como garantia para o empréstimo. Nessa modalidade de crédito, os juros são mais baixos e mais atrativos. O mutuário pode então, usar o FGTS para amortizar as parcelas do refinanciamento, quitando o novo imóvel mais rápido. O rendimento do segundo patrimônio será maior do que se o trabalhador tivesse deixado o dinheiro parado no banco.

Vale ressaltar que a Taxa Referencial, índice do Banco Central que corrige o FGTS, é a mesma taxa que regula o financiamento habitacional.

Fonte : Domus Cia Hipotecária 
11 3456 3610 SP
 

Siga-nos

ico-facebook.gif icon-googlemais.gif
logo-anbima.jpg logo-banco-central-do-brasil.jpg logo-receita-federal.jpg